Como é Fácil Apurar Resultados Econômicos (03)

Escrito por / Written by Alvaro Guimarães de Oliveira.

Acabo de publicar um novo artigo no nosso Fórum de Contabilidade AGO, para os nosso visitantes. Vejam o nosso vídeo, com breves comentários sobre o artigo  e  clique  no  link, abaixo,  para  ter acesso ao nosso Material Exclusivo. Para facilitar o acompanhamento imediato dos nossos trabalhos publicados, cadastre-se no nosso  site. É muito fácil, bastam nome e email. 




pdfCLIQUE AQUI PARA ACESSAR O PDF

Como é Fácil Apurar Resultados Econômicos (02)

Escrito por / Written by Alvaro Guimarães de Oliveira.

Acabo de publicar um novo artigo no nosso Fórum de Contabilidade AGO, para os nosso visitantes. Vejam o nosso vídeo, com breves comentários sobre o artigo  e  clique  no  link, abaixo,  para  ter acesso ao nosso Material Exclusivo. Para facilitar o acompanhamento imediato dos nossos trabalhos publicados, cadastre-se no nosso  site. É muito fácil, bastam nome e email. 




pdfCLIQUE AQUI PARA ACESSAR O PDF

Como é Fácil Apurar Resultados Econômicos (01)

Escrito por / Written by Alvaro Guimarães de Oliveira.

Acabo de publicar um novo artigo no nosso Fórum de Contabilidade AGO, para os nosso visitantes. Vejam o nosso vídeo, com breves comentários sobre o artigo  e  clique  no  link, abaixo,  para  ter acesso ao nosso Material Exclusivo. Para facilitar o acompanhamento imediato dos nossos trabalhos publicados, cadastre-se no nosso  site. É muito fácil, bastam nome e email. 




pdfCLIQUE AQUI PARA ACESSAR O PDF

Erros Conceituais Inconcebíveis das Leis 6.404 e 11.638

Escrito por / Written by Alvaro Guimarães de Oliveira.

ERROS CONCEITUAIS INCONCEBÍVEIS NAS LEIS 6.404 E 11638
Prof. Alvaro Guimarães de Oliveira
Rio, 27/03/2014.
Ao analisarmos as demonstrações contábeis que são preconizadas pela Lei 11.638 concluímos que elas são imprecisas, confusas, difíceis de serem elaboradas, difíceis de ser interpretadas e induzem os analistas a cometerem erros. Ou seja, elas são o oposto do que propõe a contabilidade: que sejam fáceis de ser elaboradas, fáceis de ser interpretadas, claras, precisas, corretas, etc.
E a origem de tudo isto são, basicamente, três falhas fundamentais:
1) Falta de distinção entre operações financeiras e econômico- financeiras;
2) Apuração periódica de resultados econômicos.
3) Ausência da informação sobre o valor mais importante de uma Demonstração da Posição Financeira (DPF): o PLF.

Falta de Distinção entre Operações Financeiras e Econômico-Financeiras.

Logo antes da Lei 6.404 o Balanço Patrimonial era uma demonstração que apresentava a posição financeira de uma empresa ao final de um determinado período. Em relação aos Resultados Econômicos Pendentes, essa demonstração, os apresentava de uma maneira muito peculiar: se o resultado pendente fosse positivo, seria apresentado no Passivo e, se fosse negativo, seria no Ativo. Esse grupo de contas – Resultados Econômicos Pendentes – era apresentado logo após as contas patrimoniais e, desta maneira, não criava nenhuma dificuldade para os cálculos dos indicadores financeiros e nem para a interpretação da situação financeira da empresa. Ou seja, contas de resultado econômico, naquela época, não se misturavam às contas patrimoniais.

Contudo, com o advento da Lei 6.404 que, inegavelmente, trouxe grandes melhoramentos e aperfeiçoamentos às práticas contábeis, houve um retrocesso em relação aos cálculos e interpretações da situação financeira das empresas.

Num aparente desconhecimento, ou desleixo, pela distinção entre os aspectos econômicos e financeiros das operações contábeis e as suas consequências, os legisladores da Lei 6.404 preconizaram uma demonstração do Balanço Patrimonial das empresas, onde as contas de resultados econômicos pendentes foram classificadas, nessa demonstração, misturadas às contas patrimoniais.

Veja também